Pesquisar
Close this search box.

Programa Desenrola Brasil é alvo de golpistas; chatbot e falso atendimento no whatsapp são usados para enganar interessados

No YouTube, aqueles que pesquisarem por “Desenrola” deparam-se, no pico dos resultados, com um link patrocinado que conduz a um chatbot projetado com o propósito de aplicar golpes em indivíduos interessados no “Desenrola Brasil” – uma iniciativa governamental para a renegociação de dívidas.

O chatbot oferece a ilusão de descontos de até 99% na renegociação de dívidas e simula, inclusive, uma consulta a dados pessoais, a fim de verificar a elegibilidade da pessoa para participar do programa.

VEJA MAIS: Google Bard: detalhes da inteligência artificial do Google e suas distinções do ChatGPT

Entretanto, o governo federal adverte que as pessoas atualmente atendidas pelo Desenrola (com renda de até R$ 20 mil) evitem aceitar intermediários e procurem informações diretamente com o banco em que são clientes para participar do programa.

Golpe no Whatsapp

Um novo golpe também foi descoberto pela equipe de reportagem no Facebook. A postagem direciona o interessado para um atendimento personalizado no WhatsApp.

Após entrar em contato com o número, a reportagem forneceu seu CPF e recebeu do atendente uma informação falsa, alegando que tinha uma dívida de R$ 6.800.

Além disso, o suposto atendente afirmou erroneamente que a renegociação poderia ser feita diretamente pelo WhatsApp, o que não é verdade.

VEJA MAIS: Nova versão do RG contará blockchain e token para identificação

O que diz o governo

Atualmente o programa “Desenrola” atende exclusivamente pessoas da chamada “Faixa 2“, destinado ao público negativo com renda de até R$ 20 mil. 

Em busca da renegociação de suas dívidas, tais indivíduos devem diretamente procurar o banco responsável por seus atendimentos, evitando a intermediação de terceiros.

Para aqueles abrangidos pela Faixa 1 do programa, cuja renda não ultrapasse 2 salários mínimos e estejam cadastrados no CadÚnico, a partir de setembro, a contemplação ocorrerá exclusivamente através do site “gov.br”.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.